Sentir um súbito de felicidade, o vento brincando com os meus cabelos e o sol a arder em meu rosto. Aquela música ecoando e toda aquela paisagem em seus diversos tons e tudo em poucos minutos. Queria mais, a gente sempre quer mais e tem essa ideia já concreta de que o muito basta. Não me importava o que eu acreditava ou deixava de acreditar, eu só sei que nunca sentir isso antes, aquela sensação de uma força maior me preenchendo de vida e esperança, como sinal de que tudo vai melhorar. Por que não?

Passamos boa parte do nosso tempo correndo, de algumas pessoas, de alguns problemas, de tantas coisas afinal, e nessa correria as pequenas oportunidades passam entre nos nossos dedos, como quem quer tentar encher a mão d’água, e depois nos perguntamos porque nada sai do jeito que deveria ou porque as coisas simplesmente não acontecem para nós e esquecemos de acreditar. Pode parecer realmente fácil eu dizer isso, mas eu sei o quanto pensar positivo ajusta o relógio, na verdade é um remédio que precisa tornar um vício, aliás, as palavras atraem, então pra que usá-la de forma errada? A chance que você queria talvez esteve em suas mãos, mas a sua falta de fé ou suas tantas reclamações fecharam seus olhos. Tem coisas que para serem grandes nascem pequenas, até do tamanho de uma ervilha, ou grão de areia e só quem sabe valorizá-las pode colher o que está por vir.

 A vida é aquela velha frase ‘’caixinha de surpresa’’, mas também pode ser clara  como uma água cristalina, pode ser cheia de novos começos e novas ideias, mas depende da gente, de como vamos aceitar os desafios que nos são dados e as nossas perdas. Certo dia ouvir um bispo falar na Tv que muitas vezes os nossos problemas não se resolvem porque não vemos  a grandeza de Deus, eu parei e pensei ‘’é isso mesmo’’,  a falta de fé de declarar que todo mundo tem seu fardo, suas provas , mas que tudo vai passar. A falta de confiança em si mesmo, de saber que ninguém sofre além do limite. Nascemos para aprender e sermos felizes. Sim, felizes. Para colher o que plantamos e para fazer de pequenas oportunidades, grandes vitórias. Não deixe a sua chance escapar, não deixe que assim como o vento leva uma folha para aonde quiser, a vida te leve. Somos seres únicos e embora diferentes buscamos quase as mesmas coisas; amor, felicidade, paz. Somos os bilhões de pensamentos, de corações e de olhares sedentos por mudanças, por consolo, por mais risos do que choros.

Naquela tarde eu percebi que talvez se eu deixasse aquela sensação escapar eu não saberia quão bom é se sentir completo, cheio de vida e força. Eu não achei bobagem sorrir e olhar para o céu, achar que aqueles dois passarinhos estavam dançando no ar como se estivessem no mesmo embalo que eu. São essas pequenas coisas, esses pequenos detalhes que podem trazer o que precisamos e eu estava precisando me sentir leve e eu sentir, queria poder ter asas para voar e rodopiar e bailar, sem direção. Queria agarrar aquelas nuvens que formavam tantos desenhos e formas. Eu agarrei de algum jeito agarrei, aquela chance, aquele sentimento que me transbordou e aquela sensação de liberdade me embalando. Não achei bobo, achei como uma dádiva de Deus, uma forma Dele me dizer que me vê e que é nessas coisinhas que muitas dispensam, como uma pássaro, uma flor, um nascer e pôr do sol que Ele declara o seu amor por nós. Aquele dia, naqueles poucos minutos o pouco se fez muito e bastou.

collage2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s